terça-feira, 3 de julho de 2018

Dormir pouco pode ter relação de causa com Alzheimer e câncer


A falta de sono pode ser muito prejudicial para nossos corpos e cérebro. De acordo com Matthew Walker, professor de neurociência e psicologia da Universidade de Berkeley, nos Estados Unidos, autor do livro “Por que dormimos”, explica porque devemos parar de admirar pessoas que dormem pouco. 

As descobertas da ciência até agora apontam que quanto menos tempo de sono, mais curta será a sua vida. Segundo Walker, dormir é tão benéfico que ele começou a pressionar os médicos a prescreverem isso aos seus pacientes. No entanto, a indução do sono deve ocorrer naturalmente. Muitos estudos relacionam remédios para dormir a um aumento do risco de câncer, infecção e mortalidade.

De acordo com o site Terra, muitas doenças que sofremos tem ligação com a falta de sono. O mal de Alzheimer, câncer, doenças cardiovasculares, obesidade, diabetes, ansiedade e tendências ao suicídio podem estar relacionados às noites mal dormidas. Como durante o sono ocorre uma espécie de “revisão” de tosos os sistemas fisiológicos importantes do nosso corpo e de cada rede ou operação da mente. Se você não dorme o suficiente, a revisão é prejudicada e o corpo é afetado.

De acordo com pesquisadores, você deve dormir pelo menos de sete a nove horas por dias. Ao dormir menos que sete, o sistema imunológico e o desempenho cognitivo são afetados. Depois de estar acordado por horas seguidas, você se sentirá tão incapacitado que a sensação se assemelha a estar bêbado. Um dos problemas que a privação do sono causa é que a pessoa não percebe de imediato o dano que ela causa.

Matthew Walker


Deixe um comentário
Líder Notícias - O seu canal de informação! © 2013 - 2018 | Desenvolvido por Junior Pacheco